EMİNE DEMİRTAŞ SİRKECİOĞLU

Onde você está?

Há alguns dias uma notícia me chamou a atenção, “Na França, 62 mil reais será dado a quem dormir dia e noite por dois meses sem interrupção”, dizia. Já embaixo da notícia “Onde será isso? Que maravilha, vamos dormir!” havia quem dissesse, “Eu até pagaria amigo! Seria suficiente se me deixassem dormir”, dizia um outro, e todo o tipo de comentário.

Tentei imaginar dois meses sem dormir. Pensei em todas as minhas responsabilidades. Dentro de mim ouvia que eu poderia deixar tudo de lado por dois meses. Não demorou muito para eu perceber que estas responsabilidades eram “mundanas”.

Como meu Deus que me convoca cinco vezes por dia veria isso, pensei em seguida. Pensei n’O Compassivo que nestes cinco momentos faz recordar a si mesmo e a mim. Ele me beneficiou diretamente; pensei nas benções que me concedeu. A medida que pensava em Sua misericórdia, minha vergonha aumentava.

Aquele Ser que mantém o universo e o controle de todas as coisas, cujas grandeza e perfeição não podem ser mensuradas por nenhuma criatura, cujo poder e soberania não podem ser comparados a coisa alguma, dizia para mim que:

Provi gentilmente você, enquanto ser humano, com inteligência e coração. Dei-lhe a capacidade de entender por si todas as coisas, de avaliar e gorvenar. Cuidei de você como de um bebê em um berço, coloquei você nos braços de uma mãe que protegeu você mais do que a si mesma.

E eu aceitei com compaixão esta paz.

Mostrei meu caminho e a chegada ao meu Amado.

Onde você está?

A euforia de viver, isto é, de uma só vez todas estas suas ocupações que você criou e te restringem desta paz como se ela não pudesse ser alcançada; você fará dormir por sua própria decisão esta inteligência, este coração e estes sentimentos?

O universo, com todos os seus elementos e sua população; o mundo (dünya), com todas as suas árvores, pedras, rios, águas, animais e toda a sua dignidade; o mundo (âlem), com todos os seus anjos, os seres espirituais que o Senhor criou milagrosamente, e que a todo o momento são testemunha disso.

“Aquele que cria é Você, apenas. As criaturas são meras obras de Sua Misericórdia, Sua Compaixão, oh Ser Único”, diga, Bismillâh, que se refere ao viver da maneira mais evidente. A chave da Misericórdia está nas mãos delas (dos seres criados), bebem abundamente da fonte, o tesouro da compaixão. Os seres, um a um, refletem aquela luz, o brilho daquela misericórdia que novamente ilumina.

Bismillâhirrahmânirrahîm, Sübhanallah, Allahuekber, Elhamdülillâh dizem.

Onde você está?

Você sabe?

Estas palavras são as que mais combinam com a sua língua.

E, na verdade, todo o seu eu te chama a esta paz com estas palavras.

Você as ouve?