NAZLI AKBAŞ

Aos olhos do mundo, eu me tornei o que existe de mais fantástico.

Em uma madrugada, das profundezas do meu corpo veio um tremor. O dono de uma voz fraca ao dar o seu primeiro respiro, preencheu um lugar vazio com um turbilhão de carinho, amor e preocupações. Estes sentimentos todos penetraram em todas as minhas células. Allah gerou do nada um filho e de de mim uma mãe. Depois daquela sala de cirurgia, voltei ao príncipe como um sapo, saí pensando como mãe.

Em meu braços havia um ser humano de cinquenta centímetros. Pele de seda quentinha como todo novo ser. Rosto rosadinho, um cheiro e uma beleza inacreditáveis que nem uma flor tem. Foi criado do modo mais belo e entregue em minhas mãos, este pequeno ser que, com sua chegada, me dominou e honrou com “a mais venerável e a mais reverenciada verdade”.

Nos primeiros dias há o sofrimento das mais terríveis dores físicas, mas todo o meu ser suportou mesmo sem nunca descansar e nem dormir, eu continuava fazendo o que devia fazer. É esquisito pensar que isso nunca me desestabilizou. As palavras “eu mesma” se afastaram consideravelmente de mim, estava me esforçando para cuidar de um pequeno ser com minhas energias.

Dentro de alguns dias eu me tornei vários nomes de Allah. Ele me deu leite, eu sustentei, o leite também foi o remédio, a cura, o mel. Meu braço braço ficou em forma de “L”, o meu cotovelo magro se tornou o leito de meu filho, seu abrigo, o seu berço.

Então, nas planícies de Serengeti, a franzina mãe se tornou se tornou quase um leão diante do líder regional. Por consequência da maternidade eu, a galinha choca, a vaca leiteira e a flor com seus botões, nos conectamos, me tornei parte da cadeia de todas as criaturas, da corrente de afeto – para compreender ao menos isso, minha inteligência não é suficiente – o seu brilho, entretanto, me fez pensar na misericórdia de Deus. Fiquei maravilhada…

Olhei para tudo isso e, imediatamente, me veio a mente os que dizem “para a continuidade das espécies”. Mais uma vez me surpreendi. Pensei, se não fosse o amor neste meu coração, que se enche infinitamente, se nem dormindo eu o tivesse visto, a paisagem mais fantástica que vi é que agora a única coisa que ele sabe sobre tristeza é o gás de seu estômago; se ele nao tivesse vindo a existir dentro de mim, eu não teria me dividido e não daria continuidade a minha descendência? Então, àqueles que dizem isso, sinceramente respondo com o mais belo chiclê:

“Quando você for mãe, vai entender!”

Quando você entender por que veio ao mundo, você se sentirá como se tivesse nascido novamente, mas ainda não é o suficiente para entender. Suplico diariamente para que você acredite de coração e tenha fé. Por isso você se tornou “crente”. Se nós não pudermos explicar para você, agarre-se em seu Deus, evoque o Seu nome…

Seja humano, seja luz, seja um crente inabalável, seja merecedor de seu Senhor. A todo momento, que nossas súplicas e agradecimentos sejam manifestas e aceitas.