HATİCE BİNNUR AVAN DEMİRCİOĞLU

Faz sentido férias das férias? Alguém se cansa das férias? Entedia-se e sente que precisa de férias nas férias? Alguém se cansa de dormir, ficar sem fazer nada, de não trabalhar ou de se afastar do tédio do trabalho que sempre faz ou de descansar?

Os olhos se abrem quando não é necessário acordar cedo? Sente-se saudade de realizar o trabalho rotineiro? As mãos ficam inquietas por não fazer o que se está acostumado? As pernas começam a ficar menos ágeis sem o vai e vem? Os braços doem por falta de movimento? O pescoço começa a segurar a cabeça com mais dificuldade? E os olhos, descansam quando se pode dormir e acordar muito tarde? Cansa-se realmente de descansar ou de não ter uma tarefa?

O que sente a alma com toda essa tranquilidade? A tranquilidade a torna pior? A melancolia começa a pressioná-la? Esse tédio faz com que ela se aborreça?

O mar, apenas o mar, seu interior, sua profundidade, apesar da sabedoria contida nele, as criaturas dentro dele não sabem de nada disso; do verde na natureza normalmente sabe-se apenas que em parte é lazer, mas ao observá-lo começa-se a perceber quantos significados contém e que nos fogem, os momentos são plenos apenas com o viver? Em muitos momentos não se encontra um alívio?

E aquele vazio? Não se inclina para o nada? Passou inutilmente consumindo toda as férias, não é assassina to tempo?

Com a intenção de descansar nas férias, em vez de se alcançar tal objetivo, essa oportunidade de repouso, quando abre a cortina dos dias cheios dentro dessa tranquilidade, não é possível realmente descansar e dar atenção às verdades impossíveis de expressar?

Existem momentos passados inutilmente, a algo valioso como o momento pode-se chamar assim? O tempo passou muito rápido?

Como o tempo passa e o momento não se move?

As férias precisam sair de férias – ou trabalhar muito nas férias… quando uma oportunidade alcança as mãos, os pés, os olhos, as orelhas, dependendo de como se faz isso, é necessário ter todas as verdades no lugar.

O sentido das férias não deve ser matar o tempo, não ter férias dentro das férias é uma maneira de viver que deve ser descoberta.